§11
Especiais

Viajar é preciso

O Parágrafo 11 está de volta. Foram quase dois anos de intervalo, período em que trabalhei no beer shop Johnny’s Off License, em Roma. Era cerveja demais pra degustar e tempo de menos pra escrever.

O Johnny’s Off License, aberto em 2004, é a primeira loja de cervejas especiais de Roma, iniciando uma tendência na capital italiana: a de oferecer uma grande variedade de rótulos, de estilos e países diferentes.

Johnny's Off License

Johnny’s Off License

Sou suspeito para falar, mas a loja aberta pelo irlandês John Nolan é um ponto obrigatório a ser visitado se você está em Roma e procura cervejas artesanais. Simplesmente porque é a loja com a seleção mais completa da Itália e está entre as mais completas da Europa. Praticamente todos os estilos figuram nas prateleiras. Além disso, encontram-se raridades que você pode nem encontrar mais na própria cervejaria.

Foi uma ótima experiência trabalhar todos os dias com 600 cervejas diferentes na sua frente. Primeiro o desafio era encaixá-las todas num espaço tão pequeno, era como jogar Tetris com garrafas todos os dias.

Degustar todas era impossível, mas grande parte sim, e em seguida o importante era procurar informações sobre elas que estivessem além do óbvio.

Aí chegava a parte da venda: o público ia do jovem leigo que procurava as mais alcoólicas, ao casal que queria levar uma cerveja para harmonizar com um jantar de frutos do mar na casa de amigos, ao nerd cervejeiro que queria o último lançamento de Imperial Stout envelhecida em barris de Bourbon. No Natal por exemplo era um caos, todos eles ao mesmo tempo.

No mais, negociar com distribuidores, fornecedores, produtores te dá uma ideia de como funciona o mercado italiano e europeu.

Agora o foco é outro: Londres. Terminado o período em Roma, tá na hora de seguir em frente, ir atrás da escola cervejeira inglesa. A ideia é trabalhar num cervejaria inglesa e aprender as técnicas e tradições da cerveja inglesa na prática, botando a mão na massa. Darei mais detalhes quando chegar lá em setembro.

Agora, como chegar lá? A primeira parada é no Brasil. Parada não, porque não dá pra ficar parado: hoje, 25/06 já começa a Brasil Brau aqui em São Paulo e tá todo mundo aqui. Sendo a feira mais importante do setor cervejeiro no Brasil, e que conta com a presença das principais micro nacionais no Degusta Beer, a ideia é ficar por dentro do mercado nacional e das novidades que estão vindo por aí.

Então no fim de julho começamos a rodar: partindo de Belo Horizonte, farei uma Jornada Cervejeira pelo Brasil que passará pelo Rio, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Visitando cervejarias, bares e demais pontos importantes para o cenário cervejeiro do nosso país, vou mostrar in loco o que está sendo feito, com uma visão de quem está há 4 anos fora, com o objetivo de incentivar o que está sendo feito de bom e sugerir o que se pode melhorar.

Jornada Cervejeira pelo Brasil

Jornada Cervejeira pelo Brasil

E no fim de agosto preparem-se para um projeto ainda mais audacioso: 2200 km de bicicleta de Florença até Londres, atravessando toda Alemanha e a Bélgica, parando para abastecer nas cervejarias. Uma peregrinação movida a cerveja!

Sigam aqui, no Twitter @paragrafo11 e no Facebook!

About these ads

Discussão

2 comentários sobre “Viajar é preciso

  1. Tiago Falcone, tudo bem? Meu nome é Lucas e sou cervejeiro de Belo Horizonte. Estive esta semana no Brasil Brau, no intuito de fazer contatos e pesquisar qual a melhor maneira de montar minha cervejaria. Acabou que me vi na necessidade de “meter o pé” na estrada e conhecer melhor os trabalhos de uma cervejaria , estudar os sabores mais apuradamente e aprimorar meus conhecimentos.
    Eu estou pensando na possibilidade de procurar uma micro/média cervejaria de receitas especiais(ou lojas de bebidas) para que eu pudesse fazer um estagio, Trainee ou exercer uma função.
    Qual seria o melhor caminho para trilhar neste sentido?

    Publicado por Lucas Oliveira | 28/06/2013, 04:06
    • Lucas, o que posso te dizer sobre começar tentando estágio em micro cervejarias é que elas quase sempre não têm condições de te contratar. Um funcionário pesa no orçamento e realmente só seria viável se fosse a custo zero. Ou seja, você pode tentar um estágio de uns 3 meses part-time sem ser pago, por exemplo.

      Em médias talvez tenha uma chance maior, mas tem que ter um bom currículo cervejeiro. Não necessariamente cursos, sua cerveja é o seu portfolio.

      Mas para começar mesmo, te recomendo tentar alguma coisa em lojas de cervejas, é o melhor que você faz pra entrar nesse meio, e continuar produzindo as suas.

      Um abraço!

      Publicado por Tiago | 29/06/2013, 00:47

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Sobre o autor – Tiago Falcone

Status: Bebendo cerveja pelo mundo

Twitter Parágrafo 11

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 166 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: